Mato Grosso liderou desmatamento em março de 2013

Mais Lidos

  • Padre brasileiro acusado de cisma enfrenta procedimentos canônicos

    LER MAIS
  • Extinction Rebellion interrompe missa do bispo em Turim: ativistas leem trechos da Laudato si' e Laudate Deum

    LER MAIS
  • “Devemos redescobrir Deus através do mistério”. Entrevista com Timothy Radcliffe

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

16 Abril 2013

O Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) divulgou nesta segunda-feira (15) o Boletim do Desmatamento (SAD) referente a março deste ano. O desmatamento acumulado no período de agosto de 2012 a março de 2013 totalizou 1.430 quilômetros quadrados na Amazônia. Houve aumento de 88% em relação a agosto de 2011 a março de 2012, quando o desmatamento somou 760 quilômetros quadrados.

A reportagem é de Djhuliana Mundel, publicada pelo ICV e reproduzida por Amazônia.org.br, 16-04-2013.

De acordo com o relatório, Mato Grosso continuou liderando o desmatamento (56%), seguido por Rondônia (28%), Pará (9%), Roraima (3%), Acre (2%) e Amazonas (2%).

Dos 10 municípios que mais desmataram no período, oito são de Mato Grosso (pela ordem: União do Sul, Colniza, Santa Carmem, São José do Rio Claro, Cláudia, Tabaporã, Sinop e Nova Maringá).

A Coordenadora da Iniciativa Transparência Florestal do Instituto Centro de Vida (ICV), Alice Thuault, ressalta que a tendência de aumento no desmatamento é ainda mais alarmante tendo em vista a grande cobertura de nuvens no último mês. Ela destaca que a presença de oito municípios de Mato Grosso na lista dos 10 que mais desmataram comprova a existência de fronteiras ativas de desmatamento no Estado. “Os dados deixam claro que a redução do desmatamento não está consolidada em Mato Grosso. O Estado não consegue controlar o desmatamento, pois os principais instrumentos públicos de comando e controle, regularização fundiária e incentivos a boas práticas somente estão sendo implementados de forma parcial. Não existe hoje em Mato Grosso, uma verdadeira estratégia de controle do desmatamento e isso faz muita falta”.

Revisão do Plano de Prevenção Estadual

Com o objetivo de criar uma estratégia local para prevenção e combate do desmatamento, foi criado em 2009, pelo Governo do Estado, o Plano de Prevenção e Controle ao Desmatamento e Queimadas no estado de Mato Grosso (PPCDQ-MT).

Elaborado pelo ICV, que faz parte da Comissão Executiva criada para acompanhamento das ações do PPCDQ-MT, o relatório de avaliação dos três primeiros anos do Plano e os números do SAD ressaltam que a implementação está bem aquém do necessário. Nesse sentido, dentre as sugestões colocadas para o aprimoramento do Plano estão o fortalecimento do PPCDQ-MT como estratégia de Estado, a necessidade de estabelecer um processo de revisão eficiente, a definição de metas e prioridades estratégicas e o alinhamento com a realidade dos orçamentos e agendas.

O relatório de avaliação do PPCDQ-MT será divulgado na íntegra na quinta-feira (18) e deve alimentar o processo de revisão do plano a ser realizado ainda em 2013.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Mato Grosso liderou desmatamento em março de 2013 - Instituto Humanitas Unisinos - IHU