Áreas úmidas. Biodiversidade e equilíbrio ambiental

Mais Lidos

  • O Rito Amazônico toma forma a partir de baixo e das Igrejas locais

    LER MAIS
  • Milei está no fundo do poço de uma esquerda envelhecida. Artigo de Tarso Genro

    LER MAIS
  • E se a IA e outras inovações estimulassem lógicas opostas às de mercado? Um sociólogo sustenta: mudança é possível – em especial em áreas como Trabalho e Educação. Mas é preciso superar a busca cega pela “eficiência” capitalista

    Em busca de uma técnica para o pós-capitalismo. Entrevista com Aaron Benanav

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

02 Dezembro 2013

Áreas úmidas. Biodiversidade e equilíbrio ambiental é o tema de capa da revista IHU On-Line desta semana. 

A edição reúne um conjunto de pesquisadores para pensar a necessidade de preservação de zonas alagadas, desde o ponto de vista de preservação da fauna e da flora até a perspectiva e prevenção das mudanças climáticas em âmbito mundial.

Wolfang Junk, coordenador do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Áreas Úmidas - INAU, que traça um panorama geral sobre as áreas úmidas e sustenta que a preservação de tais biomas deve ser prioridade para os países comprometidos com o equilíbrio ambiental.

Michèle Sato, docente associada ao Programa de Pós-Graduação em Educação na Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT e líder do Grupo Pesquisador em Educação Ambiental, Comunicação e Arte – GPEA, aborda a importância da educação ambiental junto às populações das áreas úmidas.

O professor do Departamento de Ecologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Ufrgs, Demétrio Luis Guadagnin,aposta na prevalência da gestão para a conservação ambiental e argumenta que esta última está diretamente associada à sustentabilidade.

Sidinei Magela Thomaz, professor adjunto da Universidade Estadual de Maringá - UEM, foca sua abordagem nas planícies de inundação do Rio Paraná, considerando que a conservação destas áreas não depende apenas dos cientistas, mas também da responsabilidade dos políticos e do setor hidrelétrico.

A questão do zoneamento ecológico econômico no Rio Grande do Sul é o tema abordado pelo biólogo e professor Luis Fernando Perello, professor no curso de Especialização em Gestão da Qualidade para o Meio Ambiente do Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais da PUCRS, que elenca os avanços e desafios da questão ambiental no Estado.

Cristina Stenert, pesquisadora e professora da Unisinos, recupera a discussão sobre os novos cenários das áreas úmidas e da proteção da biodiversidade.

O aspecto legal da proteção das áreas úmidas, sobretudo relacionado à Convenção de Ramsar, é discutido por Paulo Rogério Gonçalves, diretor de Biodiversidade Aquática, Mar e Antártica no Ministério do Meio Ambiente.

Enfim, Ana Silvia Rolon, bióloga e pesquisadora da Unisinos, analisa as áreas úmidas artificiais, ous seja, as lavouras de arroz no Rio Grande do Sul.
 
Complementam esta edição Adriano Pillati, pós-doutor em Direito Público Romano pela Universidade de Roma I - La Sapienza, com a entrevista “O regime militar não acabou nas periferias. Mudou apenas a cor do uniforme”, e a historiadora Elenita Malta Pereira,que reflete sobre a vida e a obra de Henrique Luiz Roessler.

Colby Dickinson, teólogo americano, fala sobre seu livro Between the Canon and the Messiah: The Structure of Faith in Contemporary Continental Thought (London: Bloomsbury, 2013).

O questionário com 38 questões, proposto pelo Papa Francisco, em preparação ao Sínodo Extraordinário sobre a Família, a ser realizado em 2014, é comentado por três professores da Unisinos, Alfredo Culleton, Castor Ruiz, Inácio Pinzetta, e pela teóloga Mary Hunt.

Cesar Sanson, professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN, sintetiza a análise de conjuntura publicada, periodicamente, pela página eletrônica do Instituto Humanitas Unisinos - IHU. A análise, feita em fina sintonia com o IHU, é preparada pelo sociólogo da UFRN e pelo Centro de Pesquisa e Apoio aos Trabalhadores - CEPAT. A análise desta semana tem como título Prisões dos dirigentes do PT. Uma leitura crítica a partir da esquerda.

A revista IHU On-Line estará disponível nesta página, segunda-feira, a partir das 17h, nas extensões html, pdf e em ‘versão para folhear’.

A versão impressa circula no campus da Unisinos na terça-feira, a partir das 8h.

A todas e a todos uma boa leitura e uma excelente semana!

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Áreas úmidas. Biodiversidade e equilíbrio ambiental - Instituto Humanitas Unisinos - IHU