Lava-jato pode atrasar Belo Monte

Mais Lidos

  • “O mundo da educação foi sobrecarregado e perturbado pelo surgimento do ChatGPT”. Discurso do cardeal José Tolentino de Mendonça

    LER MAIS
  • O “Filioque” e a história. Artigo de Flávio Lazzarin

    LER MAIS
  • Até quando? Editorial do L’Osservatore Romano

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

16 Janeiro 2015

As consequências financeiras da Operação Lava-Jato para algumas construtoras aumentam o risco de não cumprimento do cronograma da hidrelétrica de Belo Monte, principal projeto de geração de energia do país, orçado em R$ 30 bilhões.

A informação consta de reportagem publicada pelo jornal Valor, 16-01-2015.

Previsto para entrar em operação fevereiro, a usina já está atrasada em um ano. A OAS, que enfrenta dificuldades financeiras decorrentes da Lava Jato, tem 11,50% do Consórcio Construtor Belo Monte - CCBM. Outras duas empresas que compõem o consórcio e são investigadas pela Lava Jato, a Queiroz Galvão e a Galvão Engenharia, tiveram os ratins rebaixados esta semana.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Lava-jato pode atrasar Belo Monte - Instituto Humanitas Unisinos - IHU